Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Frida Kahlo - Notas biográficas


"Eu me pinto porque estou muitas vezes sozinha
e porque sou o assunto que conheço melhor"


Para se entender as pinturas de Frida Kahlo é necessário conhecer a sua vida.

A obra de Frida Kahlo (1907-1954) está profundamente relacionada à história de sua vida e de seu povo. Dizia-se filha da revolução mexicana, período crítico de transição de um estado autoritário para o regime democrático. Frida viveu as grandes transformações de seu tempo, assim como passou por fases de intenso sofrimento no plano pessoal. Aos seis anos contraiu poliomielite, que deixou como sequela uma perna atrofiada e a fez mancar.  Aos dezoito anos, num acidente de ônibus sofreu múltiplas fraturas e teve o corpo atravessado por uma barra de ferro. Por causa desses ferimentos, passou por várias cirurgias e ficou imobilizada por longos períodos. Começou a pintar durante a convalescença, com a ajuda de um espelho preso sobre sua cama. Produziu assim, uma série de obras, em sua maioria autorretratos.

Frida ingressou no partido comunista e pertenceu a um grupo de intelectuais que propunham a recuperação da identidade cultural mexicana, inspirada nas origens e tradições de seu povo. Assim conheceu o pintor muralista Diego Rivera, com quem se casou aos vinte e dois anos e viveu uma relação intensa e tumultuada por traições. A impossibilidade de gerar filhos em consequência das lesões do acidente também foi motivo de intensa dor e frustração, que sua arte permitiu expressar em obras contundentes.

Com o tempo seu estado de saúde se agravou e a pintura se tornou cada vez mais o modo pelo qual pode expressar seu sofrimento, bem como sua capacidade de elaboração e superação. Em sua breve existência, a mulher fascinante e artista incomparável, produziu uma obra que poderia ser considerada surrealista, porém  Frida negou essa classificação, afirmando que não pintava sonhos, mas sua própria realidade.  Representou, não apenas em suas obras, mas no estilo de vida e até na aparência pessoal, a riqueza simbólica da cultura popular mexicana.

Por Lucia Soares e Suely Nassif

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Nasce uma ideia...



Era uma vez uma ideia em forma de semente.
Estava por lá, já fazia algum tempo, em toda a sua esfericidade rugosa, 
como que parada no tempo, em suspenso, quieta a descansar tranquila 
sobre a terra, recebendo ali aconchego e cumplicidade. 

No entanto, em certo dia o silencio se rompeu. 
Era um dia de sol radiante, daqueles que pensamos que nunca mais irá 
se acabar, mas veio a chuva, a chuva forte e inesperada de verão. 
Fazendo tudo mudar. O som da chuva caindo sobre a terra, quebra
o silêncio, fazendo tudo se mover lá fora, mas também se fazendo 
sentir dentro.

A "semente-idéia" acorda e começa a se espreguiçar.
Estica pra cá, estica pra lá... 

O espaço ficou pequeno demais!!
Precisava de mais espaço. Rompe então os limites da casca que a continha. 
Pequenos prolongamentos ganham o espaço à sua volta, pressentindo a luz, 
saem em sua busca. Encontram o espaço, a água da chuva, as riquezas 
da terra, o abraço do ar. 

A semente desabrocha. 
Abre-se para a luz do sol que acaba de surgir após a chuva. 
Ao se abrir encontra o céu. Um céu claro pintado pelo arco-íris que, 
abençoando a terra, recebe a TODOS... 

O céu recebe a semente modificada pelo movimento que veio de dentro, 
ganhou raiz, galhos e folhas...
Um dia se abriu em flor e se expressou em frutos que irão se proliferar em 
infinitas outras "sementes-ideias". 

É o ciclo da vegetação que cobre a terra, que produz atmosfera, que 
transforma a terra em um planeta azul. Assim, tudo continua em movimento 
e harmonia, em um contínuo transformar-se...


Tudo começou com a semente-idéia "www.comentada.com".
O tempo passou...
Da semente nasce a árvore "www.laitos.com.br"

Escrito por Suely Laitano Nassif
lançado em 02/03/2013

quarta-feira, 27 de março de 2013

O ladrão de raios


RIODAN, Rick.  O ladrão de raios. Trad. Ricardo Gouveia. 2ª. Ed. Rio de Janeiro: Intrínsica, 2010, 385 págs.

O menino Percy Jackson tem doze anos e vive em Nova Iorque, com sua mãe. Ele é disléxico, mas compreende muito bem o grego antigo. E também sofre de transtorno de déficit de atenção. A mãe lhe conta pouco sobre seu pai que desaparecera nas águas. Ela se casou novamente com Gabe, um homem pouco gentil. É fim de ano e Percy tem como professor de Mitologia o Sr. Brunner, que exigiu muito dele e o observa de um jeito curioso. Ele anda sempre em sua cadeira de rodas pela Academia Yancy.

Percy e sua mãe resolvem ir para a casa de praia em Montauk passar uns dias de férias. Ela pega o carro do marido emprestado e eles, junto à Grover, amigo de Percy no colégio, encaminham-se para Montauk. Só que o carro é atacado por um Minotauro e pega fogo.  Percy luta contra o grande touro, arranca-lhe um chifre e o usa para ferir o monstro. Exaurido, ele desmaia. O carro pega fogo. Grover é jogado longe. A mãe de Percy se esvanece no ar.  Percy é levado para o acampamento Meio-Sangue, sendo tratado por Annabeth. Lá ele descobre ser um meio-sangue, ou seja, um ser filho de uma mortal com um deus imortal, no caso, Poseidon.

Grover se revela um sátiro com a missão de protegê-lo e o professor Brunner revela-se como Quíron, um cavalo e uma das figuras que comandam o acampamento ao lado de Dioniso. No acampamento ele recebe a missão de trazer de volta o raio-mestre de Zeus (criado pelos ciclopes para a guerra contra os titãs) que naquele momento todos acreditam que tenha sido roubado por Hades. Esse roubo que deixa Zeus desconfiado inclusive de Poseidon está sendo o mote para uma possível guerra entre os deuses do Olimpo. Por isso Percy recebe a missão de seu pai de recuperá-lo de Hades. Ele é chamado inclusive a ouvir a profecia do Oraculo que iluminará seu caminho.


Junto a seus amigos Annabeth e Grover partem para o Oeste, onde vive Hades. Percy vai munido de sua espada, a contracorrente. Seu pai o chama para reforçar a importância dessa missão. Os três enfrentam pelo caminho as Parcas, a Medusa, as armadilhas de Ares, o próprio Ares, Cérbero e por fim Hades nas terras das profundezas.

De volta ao acampamento, acontece a última profecia do oráculo e Percy descobre ter um amigo falso no acampamento. Sua mãe é libertada por Hades, vende uma escultura sua no Soho, separa-se do marido e resolve fazer faculdade. Annabeth vai viver uma temporada com o pai e Percy retorna para casa.

Essa aventura em que deuses gregos retornaram ao mundo ocidental porque procriaram com mortais novamente em pleno século XX é muito imaginativa e relaciona questões do universo da mitologia grega com os conflitos existenciais da humanidade atual de uma forma brilhante. Imperdível opção de leitura para adolescentes.

Escrito por Ana Lúcia Brandão

quarta-feira, 20 de março de 2013

O que é a Alienação Parental (SAP)

Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, é o termo proposto por Richard Gardner [3] em 1985 para a situação em que a mãe ou o pai de uma criança a treina para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro genitor.

Os casos mais freqüentes da Síndrome da Alienação Parental estão associados a situações onde a ruptura da vida conjugal gera, em um dos genitores, uma tendência vingativa muito grande. Quando este não consegue elaborar adequadamente o luto da separação, desencadeia um processo de destruição, vingança, desmoralização e descrédito do ex-cônjuge. Neste processo vingativo, o filho é utilizado como instrumento da agressividade direcionada ao parceiro.




O Genitor Alienante 


- Exclui o outro genitor da vida dos filhos: 
  • Não comunica ao outro genitor fatos importantes relacionados à vida dos filhos (escola, médico, comemorações, etc.). 
  • Toma decisões importantes sobre a vida dos filhos, sem prévia consulta ao outro cônjuge (por exemplo: escolha ou mudança de escola, de pediatra, etc.). 
  • Transmite seu desagrado diante da manifestação de contentamento externada pela criança em estar com o outro genitor. 
- Interfere nas visitas:
  • Controla excessivamente os horários de visita. 
  • Organiza diversas atividades para o dia de visitas, de modo a torná-las desinteressantes ou mesmo inibí-la. 
  • Não permite que a criança esteja com o genitor alienado em ocasiões outras que não aquelas prévia e expressamente estipuladas. 
- Ataca a relação entre filho e o outro genitor
  • Recorda à criança, com insistência, motivos ou fatos ocorridos que levem ao estranhamento com o outro genitor. 
  • Obriga a criança a optar entre a mãe ou o pai, fazendo-a tomar partido no conflito. 
  • Transforma a criança em espiã da vida do ex-cônjuge. 
  • Quebra, esconde ou cuida mal dos presentes que o genitor alienado dá ao filho. 
  • Sugere à criança que o outro genitor é pessoa perigosa. 
- Denigre a imagem do outro genitor
  • Faz comentários desairosos sobre presentes ou roupas compradas pelo outro genitor ou mesmo sobre o gênero do lazer que ele oferece ao filho. 
  • Critica a competência profissional e a situação financeira do ex-cônjuge. 
  • Emite falsas acusações de abuso sexual, uso de drogas e álcool. 

A Criança Alienada: 

  • Apresenta um sentimento constante de raiva e ódio contra o genitor alienado e sua família. 
  • Se recusa a dar atenção, visitar, ou se comunicar com o outro genitor. 
  • Guarda sentimentos e crenças negativas sobre o outro genitor, que são inconsequentes, exageradas ou inverossímeis com a realidade. 
Crianças Vítimas de SAP são mais propensas a:
  • Apresentar distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico. 
  • Utilizar drogas e álcool como forma de aliviar a dor e culpa da alienação. 
  • Cometer suicídio. 
  • Apresentar baixa auto-estima. 
  • Não conseguir uma relação estável, quando adultas. 
  • Possuir problemas de gênero, em função da desqualificação do genitor atacado. 

Como parar a Alienação Parental?

Busque e Divulgue Informações
A síndrome da alienação parental é um tema bastante discutido internacionalmente e, atualmente, no Brasil também é possível encontrar vários sites sobre o assunto [Sites Sobre SAP], bem como livros [Livros] e textos [Textos sobre SAP].

Tenha Atitude

Como pai/mãe
  • Busque compreender seu filho e proteja-o de discussões ou situações tensas com o outro genitor. 
  • Busque auxílio psicológico e jurídico para tratar o problema. Não espere que uma situação de SAP desapareça sozinha. 


Lembre-se

A informação sobre a SAP é muito importante para garantir às crianças e adolescentes o direito ao desenvolvimento saudável, ao convívio familiar e a participação de ambos os genitores em sua vida.

A Alienação Parental não é um problema somente dos genitores separados. É um problema social, que, silenciosamente, traz conseqüências nefastas para as gerações futuras.

Pai e Mãe, os filhos precisam de ambos!


Estatísticas sobre a Síndrome da Alienação Parental 

  • 80% dos filhos de pais divorciados já sofreram algum tipo de alienação parental. [1] 
  • Estima-se que mais de 20 milhões de crianças sofram este tipo de violência [2] 

Referências

[1] CLAWA, S.S.; RIVIN, B.V. Children Held Hostage: Dealing with Programmed and Brainwashed Children. Chicago, American Bar Association, 1991.

[2] Dados da organização SplitnTwo [www.splitntwo.org].

[3] Gardner R. Parental Alienation Syndrome vs. Parental Alienation: Which Diagnosis Should Evaluators Use in Child-Custody Disputes?. American Journal of Family Therapy. March 2002;30(2):93-115.


Lei da Alienação Parental !


A lei prevê medidas que vão desde o acompanhamento psicológico até a aplicação de multa, ou mesmo a perda da guarda da criança a pais que estiverem alienando os filhos. A Lei da Alienação Parental, 12.318 foi sancionada no dia 26 de agosto de 2010.


Fonte: http://www.alienacaoparental.com.br/

quarta-feira, 13 de março de 2013

A assistência do coração


Como vocês sabem, estamos no meio de uma revolução na consciência, que está afetando a todos. A regra 80-20 afirma que 80% de qualquer mudança se deve normalmente a 20% das pessoas. Os 20% consistem dos principais pensadores da época, aos formadores de opinião na consciência.

Em assuntos espirituais, as pessoas mais atualizadas são, às vezes, chamadas de Trabalhadores da Luz ou velhas almas, indicando que elas aprenderam mais a partir de suas experiências ao longo de muitas encarnações.

Este aprendizado avançado está armazenado em suas almas e elas se beneficiam dele conscientemente através da orientação interior intuitiva. O termo “Trabalhador da Luz” é sinônimo de “buscador espiritual”. Vocês podem ou não se considerar como um trabalhador da luz, mas, se estiverem lendo um material como este, então vocês se encaixam perfeitamente na definição.

Os pensadores de hoje planejaram antes de encarnarem neste momento na história, para ajudarem a fazer as mudanças essenciais positivas no mundo. Os sociólogos começaram agora a reconhecê-los como um importante grupo cultural.

Uma pesquisa, feita na década de 90 pelos pesquisadores Paul Ray e Anderson Sherry, descobriu que 26% dos adultos norte-americanos se tornaram o que eles denominaram como Seres Criativos Culturais.

Mais de 50 milhões de americanos já se encaixam na definição de um tipo emergente da humanidade, que fez uma ascensão abrangente na visão do mundo, valores e modo de vida. Na Europa, uma pesquisa em 1997, realizada em 15 países Europeus, mostrou números que são muito semelhantes aos Estados Unidos.

Assim, em um ambiente social, o termo “pensador de vanguarda”, realmente se aplica hoje a mais de 20% das pessoas. Curiosamente, os pesquisadores observaram que a maior parte deles não se considera como da vanguarda, nem percebe como muitas outras pessoas são como eles.

As suas categorias de Seres Criativos Culturais, identificados por Ray e Anderson se encaixam exatamente nos padrões de consciência da quarta dimensão superior e inferior.

Percebam que, embora os nossos corpos físicos estejam atualmente localizados na terceira dimensão superior, nossas mentes estão livres para voarem através da quarta dimensão, centrada no coração e para a consciência da alma da quinta dimensão.

Quando uma pessoa se move da função da terceira dimensão, desenvolvendo o intelecto básico na quarta dimensão inferior, a sua visão do mundo se expande e ela se torna mais consciente das necessidades da comunidade em geral. Elas levam em conta os efeitos locais e globais de suas próprias ações e as ações dos outros que elas apoiam Preocupações ambientais, alimentos orgânicos e preocupações com a paz estão todas sob esta faixa de frequência da consciência.

Embora a consciência da terceira dimensão tenha produzido indivíduos ambiciosos, o padrão emergente da quarta dimensão contribui com a ideia de que o bem de muitos supera quaisquer ambições egoístas de poucos.



O novo padrão emergente requer que as ações incluam um grau de serviço aos outros, em vez do antigo padrão, que estava cego ao crescimento dos outros, independentemente do que tais ações poderiam tirar de outros.

Este sentido de consciência social e de responsabilidade é uma função da consciência da quarta dimensão inferior de hoje. Isto pode ser referido como uma passagem através do portal da consciência espiritual, onde eles se tornam mais preocupados com o desenvolvimento interior e a iluminação.

Pensadores de vanguarda são simplesmente pessoas cuja frequência normal de consciência é mais elevada do que a média atual. Quanto mais elevada for a sua frequência, maior a sua consciência e capacidade de liderar a mudança, mostrando aos outros como resolver os desafios na vida ao elevar a sua própria consciência.

A consciência espiritual, centrada no coração, na quarta dimensão superior, traz com ela o desejo de ajudar e de curar os outros. É este desejo, estimulado pela energia do amor incondicional que flui por todo este universo, o que os leva hoje ao método mais poderoso e equilibrado de desenvolvimento espiritual na existência.

Este método poderia parecer à primeira vista como um paradoxo quando vocês compreendem que o segredo para o seu próprio crescimento espiritual rápido não é o que vocês fazem para se desenvolver é que conta, mas o que fazem para ajudar os outros. O serviço espiritual aos outros traz um reflexo imediato do espelho cármico da vida e vocês avançam automaticamente de uma maneira equilibrada e graciosa.

O desenvolvimento espiritual vem como a reação cármica de ajudar aos outros de formas espirituais.
Ajudá-los a compreender a natureza espiritual da realidade, é o primeiro passo.
Ajudá-los a compreender as leis metafísicas do universo é outro passo.
Ajudá-los a aprender como elevar a consciência deles, interiorizando-se para reflexão é um passo vital.


http://www.infinitebeing.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br


Escrito por Owen Waters.
6 de Janeiro de 2013.

Enviado por Vera Correa